Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO - 'Acqua Movie' | 2019

NOTA 8.0

Por Rogério Machado

A trama central é comumente abordada na ficção: mãe ausente se vê obrigada a retomar o contato com o filho, que por sua vez não quer contato com a progenitora. 'Acqua Movie' , presente na premiére Brasil e competindo como longa de Ficção no Festival do Rio, é mais uma dessas histórias que já vimos antes, mas que felizmente se passa dentro de um contexto que tem conteúdo para ir além de um drama familiar. O filme segue sem previsão se estreia no circuito comercial. 


Nesse roadmovie que vai se São Paulo ao nordeste do país, conheceremos Duda (Alessandra Negrini), uma documentarista e ambientalista que trabalha com a questão indígena e é mãe de Cícero (Antonio Haddad Aguerre), de 12 anos. Duda , em virtude do duro ritmo de gravação de um novo projeto na Amazônia , está há cerca de três meses sem ver o filho, mas após a morte do pai, Jonas (Guilherme Weber), ele convence Duda a viajar de São Paulo ao sertão para jogar as cinzas do pai no rio São Francisco.

O cineasta Lírio Ferreira ('Sangue Azul' - 2014) usa esse conflito como ponto de partida para esse 'filme de estrada' onde mãe e filho tentam, em meio ao sol escaldante do semiárido nordestino, atravessado por canais de transposição das águas do Rio São Francisco, reinventar a narrativa do afeto. Contudo, muito embora esse seja um argumento que geralmente gere interesse e bons resultados, aqui o brilho não é o mesmo. A relação de mãe e filho não convence. Não temos ciência do passado, o que faz com que a relação soe hermética, quase sem emoção. 

Porém, confesso que me rendi ao tom solar que Alessandra Negrini dá a sua personagem, e além do mais há que se valorizar a profundidade do roteiro em abordar as questões ambientais e indígenas,  e como a política é nociva em relação a esses movimentos. 'Acqua Movie' tem bom ritmo e merece atenção não só pelo discurso, como pelos méritos técnicos: a fotografia de Gustavo Hadba se destaca, usando com destreza o cenário natural à sua volta.  Lamento apenas o pouco uso de atrizes fantásticas como Zezita Matos e Marcélia Cartaxo. 

Vale dizer que 'Acqua Movie', como bem diz seu diretor, é uma extensão de 'Árido Movie', lançado em 2005. 


Vale Ver !


Nenhum comentário