Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO - 'El Camino - A Breaking Bad Movie' | 2019

NOTA 8.0

Por Karina Massud @cinemassud


"Breaking Bad" é uma das melhores séries da história da TV, com roteiro perfeito, redondo e absolutamente conectado da primeira à última cena; elenco, trilha sonora e direção magníficos – tudo impecável. Vince Gilligan, criador e produtor da série, concebeu uma história de ascensão, transformação e queda de um singelo professor de química, que por ter uma doença terminal resolve produzir metanfetamina pra deixar dinheiro pra sua família, e junto do seu ( ex-aluno) parceiro de crime vira o maior chefão do narcotráfico . No decorrer da trama vemos a metamorfose do herói em vilão: o Walter White correto e de valores retilíneos se torna Heisenberg, criminoso imoral e monstruoso.


“El Camino:A Breaking Bad Movie”, produção da Netflix também escrita e dirigida por Vince Gilligan,  não é um  mero spin-off da série (como “Better Call Saul”, um risco que foi bem sucedido), é uma conclusão para a trajetória de Jesse Pinkman, que no estupendo  episódio final, “Felina”, foge do cativeiro onde era obrigado a cozinhar a droga num carro chamado El Camino. Ou seja, é um longa feito para os fãs da série, portanto se você não a conhece não siga com a resenha crítica, vá direto à Netflix e comece a assistir essa obra-prima.

Para quem não sabe, o personagem de Jesse Pinkman era pra ter morrido logo nos primeiros episódios da série, mas como foi sucesso de público, acabou seguindo na trama e virando braço direito de Walter White na produção e distribuição da droga, no que virou a maior rede de tráfico. Agora ele é o protagonista solo, Jesse só quer recomeçar, mas pra isso ele precisa de dinheiro pra comprar uma nova identidade e nova vida.

O longa se apresenta exatamente como um episódio estendido da série (o que deixa os fãs aliviados, havia o medo de que fosse mais um caça-níquel!), com o mesmo estilo de direção e portanto a mesma qualidade, com belas imagens do deserto em cores desmaiadas que passam a tristeza que virou aquela história.

Há várias participações de personagens da série em cenas rápidas de flashback: conversas que ele teve com Walter lá no comecinho da trama e os perrengues que passou com o psicopata Todd, o demente que cuidava dele no cativeiro. O dono da loja de aspiradores que “reinventa” uma vida pra foragidos também tem papel de destaque.

Jesse é duro na queda mas sofreu tanto que cai em crise de auto-piedade, seu estado pós-traumático depois de passar meses acorrentado numa jaula como escravo produtor de pedra azul é, junto da fuga, o fio condutor da trama. Aaron Paul está como sempre excepcional: dessa vez mais introspectivo e melancólico depois de tudo o aconteceu, o rapaz amadureceu e deixou para trás a rebeldia e o “Yo Bitch!”, e tenta seguir uma vida mais simples com o que restou.

Uma série do quilate de "Breaking Bad" merecia um fechamento digno e emocionante como “El Camino”.

Vale Ver !



Nenhum comentário