Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO - 'Amor Até as Cinzas' | 2018

NOTA 7.5

Por Rogério Machado



Destaque no Festival de Cannes nesse ano e presente entre a seleção do Festival do Rio, 'Amor Até as Cinzas', olhando por cima, parece ser somente uma história sobre como um casal que sobreviveu à quase duas décadas, apesar dos encontros e desencontros. Mas não, como tem sido muito comum no cinema asiático, a trama de Zhangke Jia ('As Montanhas se Separam' - 2016), aborda questões comportamentais e políticas naquele continente. Um amor como pano de fundo ou um país como pano de fundo?  Cada uma pode escolher o que melhor lhe couber.



Na história seremos apresentados à Qiao (Zhao Tao) que está apaixonada por Bin (Fan Liao), membro de uma gangue local. Durante uma briga entre dois grupos criminosos rivais, ela chega a usar um revólver para protegê-lo. Acaba condenada a cinco anos na prisão por seu ato de lealdade. Quando é libertada, parte em busca do amado para tentar recomeçar de onde os dois haviam parado. É quando Qiao descobre que o tempo passou pra Bin de maneira diferente  do que passou para ela, e essa relação pode estar às vias do fim.

'Amor Até as Cinzas' é uma história de amor e ódio ambientada na China contemporânea, sob transformações épicas e dramáticas, cuja cultura oriental é ameaçada pela iminente ocidentalização. Isso é visto numa sequência em que  Qiao, logo no começo, está dançando freneticamente ao som de YMCA do Village People em uma boate, ou no surrealismo presente no enterro de um dos membros da gangue quando um casal apresenta uma coreografia com colãs coloridos. 

Muito acima das questões citadas, está a odisseia de uma mulher em ser aceita de volta, e respeitada não somente pelo seu homem como pela sociedade, principalmente por ser uma ex presidiária. A violência imposta pelo amor e as mudanças do sistema e da sociedade colocam essa mesma mulher em um espiral de sentimentos, que não fazem com que ela se abata ...e o tempo faz com que ela aprenda a jogar o jogo dos que estão a sua volta, mas sem perder uma característica que a acompanhou a vida inteira: ser leal ao seu amor, independente de amá-lo. 

O filme tem como ponto negativo a segunda parte, logo após que Qiao sai da prisão: além da queda no ritmo, as intenções da protagonista ficam sob uma nuvem que só dificulta a compreensão por parte público, até que muito próximo ao desfecho, vamos entender com mais clareza o porque da mulher querer manter Bin ao seu lado. Contudo, por toda força que a história dessa personagem representa, o filme angaria qualidades e há de atrair os fãs do cinema asiático, que a cada ano que passa mostra pleno crescimento.

Vale Ver !


* Direto do Festival 

Nenhum comentário