Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO! 'O Sentido do Fim' - 2017

NOTA 8.0


Por Rogério Machado


Adaptado do romance de Julian Barnes, 'O Sentido do Fim', sem previsão de estreia no Brasil, tem seu maior mérito na escolha narrativa. Nada linear, o longa através da montagem e edição vai nos dando motivo para seguir na sessão sem deixar os olhares desviarem da tela, qualquer detalhe, por mais inofensivo que pareça ser, será essencial à medida que a história vai chegando na sua conclusão. A direção do indiano Ritesh Batra  é atraente ,e revela mais um profissional que pode despontar para toda e qualquer tipo de praça e público. Recentemente inclusive, o rapaz foi apontado pela revista Variety como um nome pra ficar de olho. 


No longa, o excepcional Jim Broadbent é Tony Webster , um homem de meia-idade cuja existência tranquila é perturbada quando recebe uma carta de um advogado informando que alguém lhe deixou um diário em testamento. Essa circunstância vai reavivar memórias com mais de quatro décadas: os companheiros da faculdade e a lembrança de um grande amor, mas também as terríveis consequências de ações impensadas da sua já tão distante juventude.

'The Sense of an Ending' (no original) nada mais faz do que retratar com muita eficiência e até um certo toque de doçura, as consequências de atitudes não pensadas, onde a imaturidade se torna uma espécie de inquisidor para os anos vindouros. Os segredos vão sendo revelados aos poucos e com isso o volume de culpa também vai ganhado novas proporções. Mas não somente isso, para o público, o drama também se revelará surpreendente...e garanto: sem possibilidade de se tornar previsível. 

Amparado por um texto irrepreensível e um elenco incontestável, (BroadBent e Charlotte Rampling sempre formidáveis em cena),'O Sentido do Fim', fala sim sobre culpa e também sobre querer consertar o passado, mas acima de tudo nos diz sobre seguir em frente, e que a melhor saída para viver é administrar o presente, abstrair e lançar um novo olhar no que ficou pra trás, para então sobreviver ao futuro. Não é um filme que deixará grandes marcas, mas com certeza tocará o espectador de maneira sutil e doce. 



Vale Ver ! 




Nenhum comentário