Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO - '24 Semanas' (2017)

NOTA 8.9


Por Rogério Machado


'24 Semanas'  causou no Festival de Berlim no ano passado. Também não é pra menos,  sob a direção de  Anne Zohra Berrached o filme levanta uma questão que ainda é por demais polêmica: o aborto. Mas o que fazer diante de uma situação como essa em que a criança virá ao mundo com sérios problemas de saúde?  Permitir que ela venha à vida para sofrer?  Cabe a nós decidirmos quem morre e quem vive?  Esse é o argumento principal dessa obra sensível e questionadora em sua essência. 


O longa acompanha a história de Astrid (Julia Jentsch), uma comediante famosa por seus shows no formato 'Stand up' que, com seis meses de gravidez, descobre que seu filho tem Síndrome de Down e ainda outros sérios problemas ao nascer. Ela e Markus (Bjarne Mädel), seu marido, têm uma escolha super difícil a fazer, mas pouco tempo para isso. Com uma personalidade forte e uma resposta espirituosa para tudo, a mulher agora se sente perdida. Sem conseguir continuar com sua rotina, Astrid sabe que apenas ela pode tomar essa dolorosa decisão.

Falar abertamente do assunto, sem pudores ou ressalvas, faz bem à produção alemã: forte e tocante, o filme acerta por confrontar o espectador com o dilema da protagonista , que vai se dando conta aos poucos que todas as debilidades daquele pequeno ser, seriam demais para ela - se render parecia ser a única solução, mas aí entraria o dilema com seu marido que de maneira alguma concordaria com o procedimento, mas diante da lei que diz que nesses casos a palavra final passa ser a da mulher, só restaria a ele enfrentar todo processo seja qual fosse. 

Enquanto o Brasil mal ousa falar em aborto em casos extremos descobertos no começo da gravidez, eis que a Alemanha nos vem com um filme em que a personagem chega ao fim dizendo em uma entrevista algo como: “Precisamos falar sobre o aborto aos sete meses de gestação”.  É muito provável que o filme não ganhe repercussão em vários países justamente por todos os tabus envolvidos. 

Acompanhar os desfechos de '24 Wochen' (no original) e de certa forma achar que eles tenham sido os mais acertados para a produção, não quer dizer que eu concorde com o que está sendo abordado ou mostrado, vai muito além, cinema é isso, lança a sementinha, propõe, e o espectador que faça as vezes de juiz de valor e encontre ali a sua própria verdade. Tudo vale desde que apresentado com seriedade e uma dose a mais de delicadeza,  e isso o longa de Berrached tem de sobra. 


Vale Ver !

Nenhum comentário