Adsense Cabeçalho

PiTacO do PapO! 'A Criada' - 2016

NOTA 9.7


Obra de arte define!
Não haveria outra forma de me referir ao novo estouro do cinema coreano que foi destaque na 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e ainda concorreu à Palma de Ouro em Cannes esse ano. Em 'A Criada'  nada é o que parece, toda atenção é necessária , principalmente na introdução onde os primeiros fatos e personagens são apresentados. Tomadas simultâneas dão conta de nos colocar a par do plano sórdido que dá o pontapé inicial nesse drama erótico com ares de suspense. 

A história se passa nos anos 1930 na Coreia do Sul,  onde durante a ocupação japonesa, a jovem Sookee (Kim Tae-ri) é contratada para trabalhar para uma herdeira nipônica, Hideko (Kim Min-Hee), que leva uma vida isolada ao lado do tio autoritário. Só que Sookee guarda um segredo: ela e um vigarista planejam desposar a herdeira, roubar sua fortuna e trancafiá-la em um sanatório. Tudo corre bem com o plano, até que Sookee aos poucos começa a compreender as motivações de Hideko.


A beleza de 'A Criada', vai além dos cenários que misturam arquitetura japonesa e inglesa (Algo justificado logo nas primeiras cenas quando uma das criadas revela a admiração da dona da casa pelo estilo inglês) a direção de arte em pequenas peças usadas na produção como também o figurino saltam aos olhos. Tudo intencionalmente desenhado para criar contraste com toda violência não só verbal, como também visual da trama. 


É como eu disse antes, nada é o que parece. O filme começa de um jeito,vai tomando outra forma ali pelo meio,  e tem um desfecho completamente diferente, Resumindo:  é reviravolta em cima de reviravolta. Park Cha-Wook (do excepcional 'Segredos de Sangue' -2012)  entrega uma direção afiada ao trabalhar vingança, lesbianismo e mágoas do passado numa película genuinamente oriental.  A capacidade ímpar de Park, já vista em seus filmes anteriores, de construir belos planos e desenhar uma espécie de balé com o corpo dos atores, agora é colocada a serviço da filmagem de cenas de sexo entre as garotas capazes de fazer o espectador segurar a respiração.


Uma última informação : A produção é baseada no livro 'Na Ponta dos Dedos', de Sarah Waters e é bem possível que o longa chegue à alguns cinemas ainda em janeiro de 2017 no Brasil. 







Super Vale Ver ! 

Um comentário: