Adsense Cabeçalho

Dica do Papo! 'Conta Comigo' - 1986

A sugestão de hoje, na nossa sessão de dicas a qual chamamos de 'Old But Gold'  é de um filme que completa 30 anos de lançado este ano.  'Conta Comigo', dirigido por Rob Reiner , de 'Louca Obsessão' (1990) , 'Questão de Honra' (1992) e outros grandes filmes (a lista é grande) , fez uma proeza : emplacar um clássico praticamente na sua estreia por trás das câmeras. 

O roteiro , acredite se quiser,  é do mestre Stephen King:  O longa é adaptado de um conto do autor, que através de seus trabalhos literários ficou conhecido como o mestre do suspense e do sobrenatural, 'Conta Comigo' pode causar tal espanto por ser classificado pela indústria cinematográfica como um drama que aborda temas como amizade, lealdade, crescimento pessoal e sentimentos de perda, entre outros. Porém, com uma analise mais detalhada da trama, percebe-se que a mesma também trabalha com um fator sempre presente nas obras de King: o medo e as formas nas quais ele se manifesta. A diferença é que em 'Conta Comigo', tal sentimento consegue ser mostrado de uma forma mais próxima do cotidiano, conseguindo por isso ser real e de certa forma, poética, dentro de uma narrativa quase autobiográfica do autor.

Stephen King tinha apenas 12 anos quando voltava para casa ao lado de um amigo, durante uma caminhada pelas áreas florestais do Estado norte-americano do Maine, quando encontrou o cadáver de um rapaz da região, que havia desaparecido dias antes. Como um primeiro contato real com a morte, o fato marcou a vida do futuro escritor, que na idade adulta, adaptou tal acontecimento, no formato de conto, chamado “Outono da Inocência: O Corpo” (The Body), lançando no livro 'As Quatro Estações' (Different Seasons, 1982). Tal obra é marcada por trazer histórias mais voltadas para o drama e questões existencialistas do homem, deixando um pouco de lado temas sobrenaturais. A versão para o cinema de 'Conta Comigo' viria quatro anos mais tarde e está, até hoje, como uma das melhores adaptações baseadas na obra de King feitas para a tela grande.

Eis a sinopse : 

Gordie Lachance (Richard Dreyfuss), um escritor, recorda quando tinha entre doze e treze anos no verão de 1959 e vivia em Castle Rock, Oregon, uma localidade com 1281 habitantes. Gordie tinha três amigos inseparáveis: Chris Chambers (River Phoenix), Teddy Duchamp (Corey Feldman) e Vern Tessio (Jerry O'Connell). Chris era o líder natural, Teddy era emocionalmente perturbado e, se Gordie era o intelectual do grupo, Vern era o mais infantil. Um dia Vern ouviu por acaso Billy Tessio (Casey Siemaszko) e Charlie Hogan (Gary Riley) comentando sobre o corpo de Ray Brower, garoto da idade deles que havia desaparecido. Cada um deu uma desculpa em casa e partiram para tentar encontrar o corpo. Nenhum deles imaginava que esta viagem se transformaria em uma jornada de autodescoberta que os marcaria para sempre.


O diretor Reiner conduz de forma brilhante a trama, alternando belos momentos de poesia com fortes sequências de forte apelo emocional. O elenco também possui grande mérito no resultado final do filme graças aos quatro garotos que estão muito bem nos seus respectivos papéis gerando naturalidade e ajudando o interesse pela trama. Aliás, King consegue criar excelentes histórias envolvendo crianças e adolescentes, como nos sucessos O Iluminado (The Shining, 1980), It (It, 1990) e O Aprendiz (Apt Pupil, 1998). Este último também possuindo grande apelo dramático.


A parte técnica do filme é impecavelmente bem produzida retratando com fidelidade os anos 60 e seus hábitos e costumes. A trilha sonora é um quesito especial em 'Conta Comigo', repleto de hits da época, que conta ainda com a canção que leva o título do filme, 'Stand By Me' , de John Lennon, na voz de Ben E. King.

Ao final do filme, quando os jovens encontram o cadáver, uma outra metáfora de King é mostrada através do sentimento de perda visto em cada um dos meninos durante o filme e da forma como eles agem perante o corpo como sendo, na verdade, um momento de transformação. O epílogo do filme é brilhante, e mostra justamente como um dos valores tidos como mais sólidos da trama, a amizade, também se perde quando o companheirismo da infância, tido como mais verdadeiro e leal, deixa de existir na fase adulta por diversos motivos. E King entrega essa conclusão para o telespectador questionando qual adulto tem amigos como os quais tinha na infância. Em uma das frases mais marcantes do filme, o então adulto Gordie (Richard Dreyfuss, Contatos Imediatos do Terceiro Grau, 1977) relembrando da infância reflete. “Amigos nas nossas vidas são como garçons em restaurantes. Sempre passam, porém, alguns demoram mais do que outros“.



Temos então mais uma análise de sentimento de perda e a confirmação de que algumas experiências são únicas,  sejam elas positivas e negativas. Tudo na vida serve pra crescimento e as memórias boas também nos impulsionam a ser melhores. 'Stand By Me',no original,  está entre os grandes clássicos juvenis dos anos 80. Uma marco na categoria e que até hoje é lembrado. 





'Papo de Cinemateca - Poque Cinema e Diversão é com a Gente Mesmo.' 

Nenhum comentário